Kinross

Meio Ambiente

 

A Kinross sabe que o sucesso de suas operações depende também de uma convivência que respeite o meio ambiente. Para isso, desenvolve estudos permanentes e busca tecnologias cada vez mais modernas para controlar e reduzir impactos adversos que suas atividades possam causar. Essas ações visam a não somente recuperar áreas que tiverem sido afetadas como também buscam monitorar a qualidade da água na região e preservar a fauna e flora do Cerrado. Muitas destas iniciativas contam com a parceria da comunidade e fazem parte da política de investimento social da empresa.

Com uma política voltada para a conscientização e preservação, a Kinross realiza um programa de educação ambiental com os empregados e a comunidade em geral. A iniciativa começou em 1992, no Centro de Educação Ambiental (CEAM) da empresa. Além de realizar palestras em escolas e outras instituições da cidade, mais de 10 mil alunos já foram recebidos no CEAM. Este trabalho busca ainda inserir o tema da educação ambiental na rede de ensino do município e realizar parcerias com instituições públicas de educação e entidades ambientalistas locais.

Revitalização do Córrego Rico: o córrego é um símbolo da história de Paracatu, e nos últimos 20 anos a Kinross tem desenvolvido ações para minimizar os impactos das atividades históricas de garimpo. Para recuperar 5,5 quilômetros de um trecho que percorre a área urbana de Paracatu, a empresa investiu mais de R$7,5 milhões. Além do plantio de 18 mil mudas de árvores para formação da mata ciliar, foram construídos gabiões (estruturas que evitam a erosão), feitas drenagens e recuperados taludes (barrancos) ao longo do córrego.
Dentro desta iniciativa, a cidade também recebeu, em 2011, um importante espaço para o lazer, a prática de esportes e a cidadania. É o Parque Linear do Córrego Rico, que segue o conceito de linear por ter sido construído ao longo de um curso d’água, e possui 15 mil metros quadrados de área verde e quadras esportivas, pistas de corrida e ciclismo, espaços de convívio e brinquedos para crianças. A ação foi realizada em parceria com a Prefeitura de Paracatu.

Espalha – Águas que Unem: desde 2009, a Kinross desenvolve o projeto, em parceria com a Associação dos Produtores e Agricultores Familiares da Bacia do Espalha. O objetivo é aumentar a vazão do córrego, responsável por 80% do volume do córrego Rico, e conciliar a preservação ambiental com as atividades agropecuárias da região, por meio de ações como a construção de barraginhas e curvas de nível. O projeto foca ainda em atividades de formação e informação ambiental no resgate da biodiversidade local. A ação é uma parceria da Kinross com a Faculdade do Noroeste de Minas (Finom), Universidade de Brasília, Instituto Estadual de Florestas (IEF), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Secretarias Municipal de Agricultura e de Meio Ambiente.

Cercamento de nascentes: a Kinross assegura a proteção de 53 nascentes do rio Paracatu, numa área de 140 hectares e que compreende 15 propriedades rurais. Com isso, a Kinross trabalha para aumentar a vazão de cursos d´água que compõe as microbacias do Rio Paracatu e ajuda a preservar a agricultura nas áreas próximas a estes cursos d´água. A iniciativa também leva informações para os produtores rurais sobre práticas de conservação do solo e legislação ambiental, promovendo sua mobilização em ações de preservação e de estímulo ao desenvolvimento local. O trabalho é uma parceria com a organização não governamental Movimento Verde (Mover) e o Instituto Estadual de Florestas (IEF).

Plano de Monitoramento e Controle de Ruído Ambiental: Contempla a avaliação dos níveis sonoros e ainda propõe medidas de mitigação de ruídos para manter os níveis de pressão sonora conforme as normas e legislação pertinentes.

Controle de emissões de poeira: Para conter e controlar a poeira resultante de suas atividades, a Kinross adota uma série de ações, que incluem melhorias em equipamentos, uso de caminhões-pipa e aspersores para umedecer as vias, aplicação de polímeros (produto que cria uma espécie de revestimento para conter as partículas) nos taludes e inspeções diárias. Há unidades de monitoramento nos bairros próximos à Mina e em fontes fixas, para que a empresa possa acompanhar estes índices e mantê-los dentro dos limites legais. As medições na comunidade são verificadas por 24  voluntários que fazem parte do Programa de Monitoramento Ambiental.

Recursos Hídricos: A empresa também efetua a gestão da qualidade da água, que inclui vários procedimentos operacionais, padrões rigorosos e mais de 30 estações de monitoramento. A comunidade também tem oportunidade de acompanhar as medições da qualidade da água por meio do Programa de Monitoramento Ambiental.

Recuperação de áreas alteradas: A empresa promove a recuperação de todas as áreas alteradas por suas atividades, assim que são liberadas pela operação. Para aprimorar as técnicas de reabilitação ambiental, mantém parcerias com universidades e especialistas no Brasil e no exterior. É feita ainda a preservação de quase 3.300 hectares de área verde na reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) do Mundéu, que reúne as Fazendas Córrego Rico e Garrincha. Cerca de 75% das áreas da Kinross Paracatu correspondem a espaços destinados à preservação ambiental.

Plano de Fechamento: A Kinross possui um Plano de Fechamento, que reúne todas as diretrizes para o encerramento de suas operações. Além da reabilitação ambiental do local, o Plano contempla a reutilização da área, o encaminhamento de questões sociais e ainda uma estimativa dos custos envolvidos. O plano é revisado a cada cinco anos ou antes desse período, caso haja alguma alteração significativa.

 

Clique aqui e conheça a Política de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Responsabilidade Social da Kinross Paracatu.